ANÁLISE DOS INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO, URBANO E TURÍSTICO DECORRENTES DOS INVESTIMENTOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS NAS PRAIAS DO CRISPIM, ATALAIA E AJURUTEUA, PARÁ, BRASIL

Abstract

The socioeconomic development and urbanization of the main Brazilian coastal cities occurred from the 1960s, with investment in public policy, implementation of road, traffic and tourism capital. The research aims to evaluate the socioeconomic, urban and tourism indicators on the beaches of Crispim (Marapanim) Atalaia (Salinópolis) and Ajuruteua (Bragança) in the state of Pará. Socioeconomic indicators were obtained by IDH-M (PNUMA), the urban indicators were analyzed using by GEO Cities method - Matrix PIER (PNUD) and the tourism indicator for ICTN (MTUR). The results showed that the three areas under study presents the following averages: IDH-M (Marapanim (0.609), Salinópolis (0.647), Bragança (0.600)). The main threats and impacts that affect the state of the environment and require responses from the public policies identified by Matrix PIER were: overuse and contamination of the water table, lack of public services and soil pollution, occupation of APP and coastal erosion. Analyzing ICT, the beach of Atalaia was the fate that had the highest number of variables met in all dimensions, while the dimensions services and tourism facilities, environmental and access had the highest number of missed variables. It can be concluded that past public investments did not promote satisfactory results, as evidenced by the IDH-M, PIER and ICT indicators. Relating the results of the indicators are serious environmental damages, which compromise socioeconomic activities, potential and tourism competitiveness. Requiring currently mitigating measures, by the public power, to mitigate the pressures and the impacts generated by this model of socioeconomic development for the region.

References

Abrahão, C.M.S.; Chemin, M.; Gândara, J.M. (2012) – A oferta turística de Paranaguá (PR): uma análise de atrativos e equipamentos de hospedagem. Revista de Cultura e Turismo (ISSN: 1982.5838), 06 (4): 148-169. Florianópolis, Brasil. Disponível online em: http://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/302

Abreu; M.V.S.; Oliveira, J.C.; Andrade, V.D.A.; Meira, A.D. (2011) – Proposta metodológica para o cálculo e análise espacial do IDH intraurbano de Viçosa – MG. Revista Brasileira de Estudos de População (ISSN 1980-5519), 28 (1): 169-186. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: https://www.rebep.org.br/revista/article/view/90

Alijanzadeh, M.; Asefzadeh, S.; Zare; S.A.M. (2016) – Correlation between human Development index and infant mortality rate worldwide. Biotech Health Sci., 3 (1): 1-5. DOI: 10.17795/bhs-35330.

Amarante, V.; Arim, R.; Vigorito, A. (2010) – La relevancia de la desigualdad en la medición del desarrollo humano. Uruguay 1991-2002. Desarrollo y Sociedad (ISSN 0120-3584), (65): 123-146. Bogotá, Colombia. Disponível online em: http://www.scielo.org.co/pdf/dys/n65/n65a04.pdf

Araújo, L.; Fernandes, E.; Rosado, P. (2012) – Índice de desarrollo socioambiental para el Estado de Bahía. Revista Problemas del Desarrollo (ISSN 0301-7036), 170 (43): 101-123, Distrito Federal, México. Disponível online em: http://www.scielo.org.mx/pdf/prode/v43n170/v43n170a5.pdf

Baptista Neto, J.A.; Fonseca, E.M. (2011) – Variação sazonal, espacial e composicional de lixo ao longo das praias da margem oriental da Baía de Guanabara (Rio de Janeiro) no período de 1999-2008. Revista da Gestão Costeira Integrada, 11 (1): 31-39. DOI: 10.5894/rgci189.

Belarmino, P.H.; Silva, S.M.; Rufener, M.C.; Araújo, M.C.B. (2014) – Resíduos sólidos em manguezal no rio Potengi (Natal, RN, Brasil): relação com a localização e usos. Revista da Gestão Costeira Integrada, 14 (3): 448-457. DOI: 10.5894/rgci451.

Carmona, V.C.; Costa, B.K.; Ribeiro, H.C.M. (2014) – Competitividade e turismo: estudo da produção científica internacional. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 8 (2): 201-221. DOI: http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v8i2.721.

Cetrulo, T.B.; Molina, N.S.; Malheiros, T.F. (2013) - Indicadores de sustentabilidade: proposta de um barômetro de sustentabilidade estadual. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (ISSN 2176-9478), (30): 33-45. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: http://abes-dn.org.br/publicacoes/rbciamb/PDFs/30-07_Materia_4_artigos376.pdf

Cicero, L.H.; Quiñones, E.M.; Cunico, P.; Santos, C.L. (2012) – Contaminação das areias de praias do Brasil por agentes patológicos. Revista Ceciliana (ISSN 2175-7224), 4 (2): 44-49. Santos, São Paulo. Disponível online em: http://sites.unisanta.br/revistaceciliana/edicao_08/7.pdf

Cîrstea, S.D. (2014) – Travel e tourism competitiveness: a study of world´s top economic competitive countries. Procedia Economics and Finance, 15 (2014): 1273-1280. DOI: 10.1016/S2212-5671(14)00588-7.

Constantino, M.; Pegorare, A.B.; Costa, R. B. (2016) – Desempenho regional do IDH e do PIB per capita dos municípios de Mato Grosso do Sul, Brasil, entre 2000 e 2010. Interações, 17 (2): 234-246. DOI: http://dx.doi.org/10.20435/1984042X2016207.

Costa, H.A.; Hoffmann, V.E. (2006) – Competitividade de destinações turísticas: elementos e indicadores aplicados no estudo da administração turística de Balneário Camboriú - SC, Brasil. Revista Turismo em Análise, 17 (2): 135-154. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v17i2p135-154.

Costa, M.B.S.F.; Pontes, P.M.; Araújo, T.C.M. (2008) – Monitoramento da linha de preamar das praias de Olinda – PE (Brasil) como ferramenta à gestão costeira. Revista da Gestão Costeira Integrada, 8 (2): 101-112. DOI: 10.5894/rgci145.

Daneluz, D.; Tessaro, D. (2015) – Padrão físico-químico e microbiológico da água de nascentes e poços rasos de propriedades rurais da região sudoeste do Paraná. Arquivos do Instituto Biológico, 82, 1-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1808-1657000072013.

Dawalibi, N.W.; Goulart, R.M.M.; Aquino, R.C.; Witter, C.; Buriti, M.A.; Prearo, L.C. (2014) – Índice de desenvolvimento humano e qualidade de vida de idosos frequentadores de universidades abertas para a terceira idade. Psicologia & Sociedade, 26 (2): 496-505. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822014000200025.

Felisa, G. Ciriello, V.; Federico, V. (2013) – Saltwater intrusion in coastal aquifers: a primary case study along the Adriatic coast investigated within a probabilistic framework. Water, 5, 1830-1847. DOI: 10.3390/w5041830.

Flores, L.C.S.; Cavalcante, L.S.; Raye, R.L. (2012) – Marketing turístico: estudo sobre o uso da tecnologia da informação e comunicação nas agências de viagens e turismo de Balneário Camboriú (SC, Brasil). Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 6 (3): 322-339. DOI: http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v6i3.487.

Fonseca, E.O.L.; Glória, T.M.; Barreto, M.L.; Carmo, E.H.; Costa, M.C.N. (2010) – Prevalência e fatores associados às geo-helmintíases em crianças residentes em municípios com baixo IDH no Norte e Nordeste brasileiros. Cadernos de Saúde Pública, 26 (1): 143-152. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2010000100015.

FRATUCCI, A.C.; SCHWANTS, G.X.L.; MAIA, Y.C. (2014) – Estrutura da gestão pública do turismo nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Revista de Cultura e Turismo (ISSN: 1982.5838), 8 (1): 140-159. Florianópolis, Brasil. Disponível online em: http://www.uesc.br/revistas/culturaeturismo/ano8-edicao1/6.pdf

Galvão Junior, A.C. (2009) – Desafios para a universalização dos serviços de água e esgoto no Brasil. Revista Panamamericana de Salud Publica, 25 (6): 548-556. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892009000600012

Giatti, L.L.; Freitas, C.M.; Nascimento, P.R.; Landin, R.; Gaviolli, J.; Cutolo, S.A.; Maria, N.C.; Carbone, A.S.; Toledo, R.F. (2013) – Estudo de distintos níveis holárquicos para uma região metropolitana por meio da aplicação de Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (ISSN: 2176-9478), (30): 79-88. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: http://abes-dn.org.br/publicacoes/rbciamb/PDFs/30-11_Materia_8_artigos380.pdf.

Gonçalves, R.M.; Pacheco, A.P.; Tanajura, E.L.X.; Silva, L.M. (2013) – Urbanização costeira e sombreamento na praia de Boa Viagem, Recife-PE, Brasil. Revista de Geografia Norte Grande, (54): 241-255. DOI: http://dx.doi.org/10.4067/S0718-34022013000100013.

Gouveia, N. (2012) – Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva, 17 (6): 1503-1510. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000600014.

Heringer, R. (2002) – Desigualdades raciais no Brasil: síntese de indicadores e desafios no campo das políticas públicas. Cadernos de Saúde Pública, (18): 57-65. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2002000700007.

Hespanhol, I. (2008) – Um novo paradigma para a gestão de recursos hídricos. Estudos Avançados, 22 (63): 131-158. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142008000200009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Unidades da Federação. Pará (2010). Em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/tabelas_pdf/Para.pdf.

Jerie, S.; Tevera, D. (2014) – Solid waste management practices in the informal sector of Gweru, Zimbabwe. Journal of Waste Management, 2014, 1-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1155/2014/148248.

Kaliraj, S.; Chandrasekar, N. Magesh, N.S. (2013) – Evaluation of coastal erosion and accretion processes along the southwest coast of Kanyakumari, Tamil Nadu using geospatial tehniques. Arabian Journal of Geosciences. DOI: 10.1007/s12517-013-1216-7.

Kassie, K.E. (2016) – The problem of solid waste management and people awareness on appropriate solid waste disposal in Bahir Dar city: Amhara region, Ethiopia. ISABB Journal of Health and Environmental Sciences, 3 (1): 1-8. DOI: 10.5897/ISAAB-JHE2016.0026.

Lohmann, P. (2012) – A inovação do turismo no Brasil: os desafios na construção de sua trajetória. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica, 7 (2): 3-16. DOI: http://dx.doi.org/10.12660/oit.v7n2.6887.

Luz, L.F.P.; Silva, T.F.F.; Alberton, A.; Hoffman, V.E. (2011) – Estratégia e finanças em turismo: análise das publicações em periódicos brasileiros de turismo. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica, 6 (1): 1-26. DOI: http://dx.doi.org/10.12660/oit.v6n1.5789.

Majerová, I. (2012) – Comparison of old and new methodology in human development and poverty indexes: a case of the least developed countries. Journal of Economics Studies and Research, 2012, 1-15. DOI: 10.5171/2012.290025.

Marino, M.T.R.D.; Freire, G.S.S. (2013) – Análise da evolução da linha de costa entre as praias do Futuro e Porto das Dunas, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), Estado do Ceará, Brasil. Revista da Gestão Costeira Integrada, 13 (1): 113-129. DOI: 10.5894/rgci373.

Medeiros, E.C.S.; Pantalena, A.F.; Miola, B.; Lima, R.S.; Soares, M.O. (2014). Percepção ambiental da erosão costeira em uma praia no litoral Nordeste do Brasil (Praia de Taíba, CE). Revista da Gestão Costeira Integrada, 14 (3): 471-482. DOI: 10.5894/rgci488

Mendes, A.C.; Silva, M.S.; Santos, V.F. Análise do meio físico para gestão ambiental das ilhas de Algodoal e Atalaia (NE do Pará). In: PROST, M.T.R. C.; MENDES, A. Ecossistemas costeiros: impactos e gestão ambiental. 220p., Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA, Brasil. ISBN: 978-8561377663.

Mesquita, K.F.C.; Santos, M.L.S.; Pereira, J.A.R.; Figueiredo, B.L. (2014) – Avaliação da qualidade microbiológica da água consumida pela população da região amazônica um estudo de casos na ilha de Mosqueiro PA. Revista Scientia Amazônia (ISSN: 2238.1910), 3 (3): 27-31. Manaus, Brasil. Disponível online em: http://scientia-amazonia.org/wp-content/uploads/2016/06/v3-n3-27-31-2014.pdf.

MIHCI, H.; TANER, M.T. (2014) – Comparative Human Development and Gender Equality Performance Analysis of Middle Eastern and North African Countries with Turkey. International Journal of Economics and Financial (ISSN: 2146-4138), 4 (4): 859-869. Montpellier, França, Disponível online em: http://www.econjournals.com/index.php/ijefi/article/view/930/pdf

Miki, A.F.C.; Gândara, J.M.G.; Muñoz, D.R.M. (2012) – O estado atual de pesquisas sobre competitividade turística no Brasil. Caderno Virtual de Turismo (ISSN: 1677-6976), 12 (2): 212-223. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/680/325.

Minh, H.V.; Hung, N.V. (2011) – Economic aspects of sanitation in developing countries. Environmental Health Insights. 5, 63–70. DOI: 10.4137/EHI.S8199.

Montanari; M.G.; Giraldi, J.M.E.; Campello, C.A.G.B. (2013) – Um estudo sobre a relação entre competitividade no setor de turismo e o desenvolvimento dos países. GCG Georgetown University - Universia, 7 (2): 56-67. DOI: 10.3232/GCG.2013.V7.N2.04.

MTUR. Ministério Do Turismo (s / d). (2008) – Estudo de competitividade dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional - Relatório Brasil. 2ª ed. Revisada. Ministério do Turismo, Brasília, Brasil. Em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/MIOLO_65xdestinosx_revisao4set.pdf

______ (s / d). (2014) – Índice de competitividade do turismo nacional: Destinos indutores do desenvolvimento turístico regional: Relatório Brasil 2013. Ministério do Turismo, Brasília, Brasil. Em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Estudo_das_competitividades_65_destinos.pdf

Oliveira, M.F.; Gonçalves, C.A. (2013) – A dicotomia entre cooperação e competição em um aglomerado territorial turístico. Revista de Cultura e Turismo (ISSN: 1982.5838), 7 (1): 152-170. Florianópolis, Brasil. Disponível online em: http://www.uesc.br/revistas/culturaeturismo/ano7-edicao1/8.oliveira.pdf.

PNUMA. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. (s / d). (2004) - Metodologia para elaboração de relatório GEO Cidades: manual de aplicação. v. 2. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Rio de Janeiro, Brasil. Em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/253615/mod_resource/content/1/356_Manual_GEO_Cidades_port.pdf.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (s / d). (2013a) – Índice de Desenvolvimento Humano municipal brasileiro. Série Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Fundação João Pinheiro, Brasília, Brasil. Em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/130729_AtlasPNUD_2013.pdf.

_____ (s / d). (2013a) – Atlas do desenvolvimento humano no Brasil 2013. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Fundação João Pinheiro, Brasília, Brasil. Em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/

_____.(s / d). (2014) – Atlas do desenvolvimento humano nas regiões metropolitanas brasileiras. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Fundação João Pinheiro, Brasília, Brasil. Em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/141125_atlas.

Poletti, A.; Sampaio, C.A.C. (2013) – Sistematização dos impactos da atividade turística: etapa preliminar. Cadernos de Estudo e Pesquisa em Turismo (ISSN 2316-5952), 2 (2): 155-163. Curitiba, Brasil. Disponível online em: http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/turismo?dd99=issue&dd0=533

Rezende, A.J.; Slomski, V.; Corrar, L.J. (2005) – A gestão pública municipal e a eficiência dos gastos públicos: uma investigação empírica entre as políticas públicas e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios do Estado de São Paulo. Revista Universo Contábil, 1 (1): 24-40. Blumenau, Brasil. Disponível online em: http://proxy.furb.br/ojs/index.php/universocontabil/article/view/75.

Rocha, K.E.; Mendes, J.V.; Moris, V.A.S. (2013) – Avaliação do nível de maturidade em sustentabilidade através do Modelo Hierárquico de Lowell. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (ISSN 2176-9478), (30): 68-78. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: https://www.yumpu.com/pt/document/fullscreen/51940725/edicao-30-dezembro-13-rbciamb

Ruiz, T.C.D.; Akel, G.M.; Gândara, J.M.G. (2015) – Estudos de competitividade turística: comparativo do modelo de Dwyer e Kim e do estudo de competitividade dos 65 destinos indutores do Brasil. Turismo & Sociedade, 8 (1): 15-37. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/tes.v8i1.34299.

Santos, C.Z.; Schiavetti, A. (2013) – Reservas extrativistas marinhas do Brasil: contradições de ordem legal, sustentabilidade e aspecto ecológico. Boletim do Instituto de Pesca (ISSN: 0046-9939), 39 (4): 479-494. São Paulo, Brasil. Disponível online em: http://revistas.bvs-vet.org.br/bolinstpesca/article/view/35519/39931.

Sartori, A.G.O.; Siloto, R.S. (2013) – Análise da compatibilidade de indicadores de desenvolvimento humano e sustentável do sistema das Nações Unidas com o BellagioSTAMP. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (ISSN 2176-9478), (30): 99-110. Rio de Janeiro, Brasil. Disponível online em: http://abes-dn.org.br/publicacoes/rbciamb/PDFs/30-13_Materia_10_artigos382.pdf.

Scherer, M.; Sanches, M.; Negreiros, D.H. (2009) - Gestão das zonas costeiras e as políticas públicas no Brasil: um diagnóstico. Rede Iberoamericana de manejo Costeiro (Brasil). Agência Brasileira de Gerenciamento Costeiro. Em: https://www.researchgate.net/publication/266328746.

Silva, J.A.; Santos, C.A.J. (2015) – Análise competitiva do turismo no município de Aracaju. Revista de Turismo Contemporâneo (ISSN 2357-8211), 3(2): 188-210. Natal, Brasil. Disponível online em: https://periodicos.ufrn.br/turismocontemporaneo/article/view/6887/6147.

Silva, R.R.; Bacha, C.J.C. (2014) – Acessibilidade e aglomerações na região Norte do Brasil sob o enfoque da nova geografia econômica. Nova Economia, 24(1): 169-190. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-6351/1507.

Souza, C.R.G. (2009) – A erosão costeira e os desafios da gestão costeira no Brasil. Revista da Gestão Costeira Integrada, 9 (1): 17-37. DOI: 10.5894/rgci147.

Tonyes, S.G.; Wasson, R.J.; Munksgaard, N.C.; Evans, K.G.; Brinkman, R.; Williams, D.K. (2017) – Understanding coastal processes to assist with coastal erosion management in Darwin Harbour, Northern Territory, Australia. Earth and Environmental Science. 55, 1-8. DOI:10.1088/1755-1315/55/1/012012.

UNDP. United Nations Development Programme. (s / d). (2014) – Human development report 2014. Sustaining human progress: reducing vulnerabilities and building resilience. United Nations Development Programme, New York, United State America. Em: http://www.instituto-camoes.pt/images/cooperacao/relatorio_ocde14b.pdf.

Vasconcelos, F.P; Coriolano, L.N.M.T. (2008) – Impactos socioambientais no litoral: um foco no turismo e na gestão integrada da zona costeira do Estado do Ceará, Brasil. Revista da Gestão Costeira Integrada, 8 (2): 259-275. DOI: 10.5894/rgci134

Vieira, D.P.; Hoffmann, V.E. (2013) – Competitividade e desenvolvimento: um estudo em destinos indutores do turismo brasileiro. Revista Alcance-Eletrônica, 20 (3): 400-416. DOI: http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v20n3.p400-416.
Published
2020-03-27
How to Cite
ALMEIDA, Adrielson Furtado; JARDIM, Mário Augusto Gonçalves. ANÁLISE DOS INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO, URBANO E TURÍSTICO DECORRENTES DOS INVESTIMENTOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS NAS PRAIAS DO CRISPIM, ATALAIA E AJURUTEUA, PARÁ, BRASIL. Journal of Integrated Coastal Zone Management, [S.l.], v. 19, n. 4, p. 191-207, mar. 2020. ISSN 1646-8872. Available at: <https://ojs.aprh.pt/index.php/rgci/article/view/114>. Date accessed: 04 dec. 2021.
Section
Research Articles

Keywords

Human development, socioeconomic development, tourist development.